sábado, 18 de janeiro de 2014

A vida na rota pública

Até o final dos anos setenta, talvez, para alguns mais, para outros menos,  a moral das relações humanas concebia que um mulherengo tivesse boa reputação, fizesse um bom casamento e até  tivesse uma esposa tolerante. Hoje, as mulheres não se calam mais pra isso, podem amar um mulherengo, mas se separarão dele. A pressão social não permite que uma mulher possa efetivamente suportar uma traição por muitos anos, mesmo que ela possa e queira.

 Mulheres submissas que ficavam a vida toda num casamento de conveniência não mais existem, entre outros fatores e assim, mudou a dinâmica dos relacionamentos, mas mudaram as relações efetivamente ou as pessoas? Vai me dizer que não existam mais submissos, arrogantes, mulherengos, dependentes, independentes, suaves, grosseiros  e outras classificações?O que mudou foi o olhar de julgamento que se tem sobre as coisas e a pressão social. Assim como um pai podia dar uma boa pancada no filho para “educá-lo” sem que isso fosse o fim do mundo ou caso de delegacia, hoje isso não é mais permitido, mas não quer dizer que os filhos estejam mais bem educados do que antes.

É verdade, a sociedade não se cala. Cria leis pra proteger tudo e todos. Os direitos dos homossexuais, das crianças agredidas, das Carolinas Dieckmans e tudo o mais.  Também eu quero uma lei que proteja os direitos dos professores em aula, que não seriam poucos dadas as agressões sofridas,  mas isso é outra história...

O mundo hoje deseja os perfeitos: saudáveis, felizes, ricos , belos, bem-sucedidos. A verdade é que os homens não são assim. Eles são como são. E por isso o mundo de hoje é tão hipócrita.  

Antes era possível viver, crescer, morrer sem que o mundo tomasse conhecimento da sua pobre existência que podia significar algo pra seus amigos, seus familiares e aqueles que vc amasse, mas hoje, vc tem que prestar contas ao mundo. É  a vida na rota pública, mesmo que vc seja ou deseje ser um reles Zé ninguém, ninguém vai te deixar em paz, é um fato. Vc é julgado, filmado, fotografado, publicado, cadastrado, decodificado, classificado da hora que nasce até o momento da sua morte. É  a moral dos tempos.

Sua vida não é mais sua . Minimamente ou amplamente, conforme vc permita. E tome cuidado porque os olhos dos outros estão por toda a parte. Numa festa um dia desses , vi uma prima dizendo pra outra que os dentes dela estavam  “um tantinho amarelos” e que ela conhecia um dentista ótimo que os faria branquinhos num piscar de olhos. Faltou pouco para dizer a outra que ela devia ir para um desses programas de antes&depois...

Vem cá , onde que está escrito que os dentes tem que ser branquinhos, branquinhos,  como os dessas atrizes da Globo?’E por isso que é fácil e tranquilo fazer humor hoje em dia...é tudo muito ridículo mesmo! Os humoristas faturarão cada vez mais desse jeito...

A infância cercada de Barbies, aniversários temáticos e Mc.Donalds; a adolescência massacrada por iPods, iPads e tudo o mais não tem nada de poético. Pena! E ainda tem gente que diz que somos melhores agora...

                       

                          
Não é só viver a vida, vc tem que dizer a todos que a vive e como a vive. Se nossas avós foram deixadas em paz com seus maridos barrigudos, pelancudos e mulherengos; a propaganda de hoje, aliás, ninguém vai te deixar viver com um homem que ronca ao lado. Ligue para 0800 e durma em paz, largue o traste, troque por um novo em folha, atinja o melhor de si.

                      


O meu pai que tem um senso de humor que pouca gente entende, costuma dizer: “para o mundo que eu quero descer”, aliás Raul Seixas transformou isso em música. Sábio Raul.  

Eu tenho saudades de um tempo em que as pessoas eram mais aceitas em suas individualidades, excentricidades e idiossincrasias. Será por isso também que os filmes eram melhores?


Falarei sobre isso na próxima crônica, espero....

3 comentários:

  1. Entrei pra dar uma espiada... Tenho que espiar mais! Constatei. Grande beijo e forte abraço, minha querida!

    ResponderExcluir
  2. É uma bela reflexão... Essas ferramentas tecnológicas são importantes, mas, de fato, perde-se a medida. E aí, muito por essa necessidade de nos mostrarmos... enfim, muitas discussões, variações em cima desse tema. Bjsss
    Olha, temos q marcar um chope!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, vamos marcar um chopp! Aproveitar esse calorão! Grande beijo

      Excluir