domingo, 15 de setembro de 2013

As mulheres e as unhas

Uma certa vez , precisava ir a uma festa , eu e uma amiga . Estávamos numa cidade do interior  e as manicures estavam todas ocupadas. Ficamos desesperadas atrás de uma manicure. Quando um amigo falou algo que rimos muito então: “vocês já viram alguém falar numa festa? Ah vocês viram  a fulana? Que escândalo ela não fez as unhas???? Sinceramente nunca vi ninguém perguntar isso” Minha amiga contestou e disse: “pior que reparam , todo mundo repara se a gente não faz as unhas”

É verdade.

Não  que faça diferença pra mim, que,  admito,  escrevo poemas com caneta tinteiro(é um ritual sagrado, que me faz bem pra alma). Pintores, escritores , professores ,  cozinheiros e outras profissões tem problemas com unhas, elas se desgastam e são obrigados a cortá- las muita curtas...

Mas nunca sacrificaria meus poemas por minhas unhas. É um fato!Antes poeta que madame de unhas feitas...

Também não posso mais cozinhar o  que faço amiúde , (pois é a única coisa que relaxa essa carcaça estressada). Caso queria que minhas unhas finalmente cresçam....coisa que elas se recusam a fazer, pois são unhas utilizáveis..que plantam , escrevem, cozinham, espanam , varrem, lavam...e quebram facilmente...
Não é mais aceitável não estar na crista da moda e da onda na questão das unhas...elas devem estar longas, pintadas, com as cores da moda e feitas nos salões...para quem não tem habilidade para fazê-las...
Um milhão de salões especializados abriram esperando por um mercado tão promissor quanto o da moda...unha é moda!Foi-se o tempo em que era apenas uma questão de higiene pessoal...

Comecei a reparar instintivamente na relação das mulheres com as unhas (que fofo!!!). Ente outras bizarrices que observei,  uma delas , me chamou particular atenção.  Ao meu lado, desde a hora que entrou no ônibus, uma mulher não parava de admirar as próprias unhas. Ligou o celular, mas parece que não obteve completude da chamada, então a única coisa de interessante que lhe ocorreu fazer  a viagem inteirinha (40 minutos ) foi admirá-las,o que fazia de 3 em  3 minutos talvez menos, tocava, olhava, esfregava, olhava de novo, lustrava,  catava algo nelas, talvez algum fiapo de roupa perdido, que espantava, enfim, o ritual não tinha fim....quanta energia  em coisa tão útil!!! Num certo momento aquilo começou a me irritar e meu instinto professoral começou a acender como se eu pensasse: ”pessoa, por favor,  ache outra coisa mais criativa pra fazer”. Pensei em intimidá-la olhando diretamente pras unhas dela, o que não obteve nenhum sucesso, muito pelo contrário , assim que, viu que suas maravilhosas unhas vermelhas eram observadas, tornou-se mais ousada, começou a levantar as mãos e olhá-las de frente, estonteada com a beleza do que parecia ver ali. . Fiquei chocada. Era como se a importância ou a autoestima daquela pessoa  estivesse todo impresso na aparência de suas unhas...
.
Foi um bom aprendizado. ...percebo que há uma espécie de status em exibir unhas longas, belas e feitas....por isso tanto  esmalte importado, tanta loja aberta faturando com isso, tanta mulher secretária  digitando com unhas de cinco cm, o que é irritante(plac, plac, plac, e a madrasta da branca de neve ganha vida na minha frente...sempre fico imaginando que   elas vão me oferecer ao final do plac plac plac, uma maçã envenenada!...)

Há tanta carnavalização do assunto  que uma coisa acessória tornou-se agora  absolutamente indispensável: a unha feita em salão!Já há até programa de televisão unicamente sobre o assunto!....
Eu, de minha parte, nunca empregaria uma cozinheira de unhas longas....que nojo!Cuidado com o s vermes e unhas pintadas disfarçam a sujeira nelas....principalmente se você for de família árabe que mistura a comida com as mãos...não arrisque!Já tive uma , que me levou ao médico!Prefira as curtas e sem pintura, que você enxergue o que está ali!

De minha parte , ainda escrevo com caneta tinteiro(disso não abro mão)....esfrego a mancha com sabonete dove  até sair, o que é, deveras,  muito doloroso....

Como sou mulher e preciso manter minha reputação, mesmo com unhas roídas e quebradas, de vez em quando vou a manicure...sempre com muito medo de que elas me machuquem, o que irremediavelmente elas fazem , pois minha cutícula é de bebê....e fica ardendo três  longossssssssssss dias...

Ninguém merece!

Nenhum comentário:

Postar um comentário